Passe pela TPM de forma tranquila sem descabelar

                                                          

Em algum momento de extremos stress, ou em momentos de crises de choro, seu marido, namorado, irmão, pai ou amigo já te fizeram aquela pergunta um tanto obvia e muitas vezes irritante: “Você está com TPM?”. Chega até ser cômico.

Na verdade, a TPM já não é mais considerada um tabu. Atualmente, as mulheres não têm vergonha de expor essa condição para ninguém. Algumas, inclusive expõem em seu Twitter, ou em outras redes sociais: “Ninguém me perturbe, estou de TPM”.

A tensão pré-menstrual nunca passa despercebida, pois pode apresentar-se fisicamente com a retenção de líquidos, inchaços em locais específicos e dificuldades na respiração; ou também emocionalmente, com quadros depressivos e de ansiedade.

Segundo dados da OMS (Organização Mundial Da Saúde), a TPM afeta 90% das mulheres. Se você não faz parte das sortudas, que compõem os 10%, essa matéria é para você.

O que diz a especialista?

Para te ajudar a passar pela TPM de maneira leve e tranquila, a redação do iGospel realizou uma entrevista com a ginecologista, Juliana Amoto. Confira:

 Portal Bispa Sonia: O que é TPM?

 Dra. Juliana Amato: A TPM é uma síndrome, que atinge a maioria das mulheres e ocorre em maior ou menor grau nos dias que antecedem a menstruação.

Portal Bispa Sonia: Quais são os sintomas?

Dra. Juliana Amato: Os sintomas da TPM variam muito. Essa síndrome geralmente é marcada por irritabilidade, nervosismo, ansiedade, sensibilidade, dores abdominais, dores de cabeça, inchaço nas mamas, retenção de líquidos e insônia.

Portal Bispa Sonia: O que fazer para amenizar a TPM?

Dra. Juliana Amato: Massagens na região abdominal, utilização de uma bolsa de água quente; no caso de cólicas, é bom utilizar algum antiespasmódico. Em casos mais graves de TPM, eu indico ansiolÍtcos, que podem ser utilizados durante todo o mês e a utilização de óleos de prímula ou linhaça.

Conheça os tipos de TPM (segundo dados da OMS)

 Tipo “A” – Ansiedade: Neste caso, além da ansiedade, prevalecem a tensão nervosa, oscilações de humor e irritabilidade.

 Tipo “C” – Cefaléia: Quando a dor de cabeça, o aumento no apetite, palpitações, cansaço, tonturas ou desmaios são mais comuns durante o período que antecede a menstruação.

 Tipo “D” – Depressão: É o tipo onde prevalece o estado depressivo, aquela sensação de “ninguém me ama, ninguém me quer”. Muito comum e potencializado quando não se está muito animada por algum motivo. Pode ocorrer também esquecimento, crises de choro repentinas, confusão e insônia.

Tipo “H” – Hídrico: Por razões também hormonais, algumas mulheres têm maior propensão a reter líquido na TPM e mesmo durante a menstruação, algumas chegam até a engordar 2kg.

 Não sabe por onde começar? Entenda as dicas da ginecologista

 Antiespasmódico: medicamento que suprime a contração do tecido muscular liso, especialmente em órgãos tubulares. Evita espasmos na região abdominal, ou seja, é ideal para cólicas.

 Ansiolítcos: são medicamentos sintéticos usadas para combater a ansiedade e a tensão. Afetam áreas do cérebro que controlam a ansiedade e o estado de alerta relaxando os músculos. Em pequenas doses recomendadas por médicos, não causam danos físicos ou mentais.

 Óleo de prímula: é uma substância que ajuda a equilibrar os hormônios femininos, diminuindo os impactos da TPM. Seu uso é via oral.

 Óleo de linhaça: é um anti-inflamatório natural, que ajuda a reduzir as cólicas e a retenção de líquidos. As cápsulas de linhaça, assim como a de óleo de prímula, é  ricas em ômega 3, gordura que melhora a pele, protege contra inflamações, cólicas, inchaço e alterações de humor.

Serviço:

Contatos da Dra. Juliana Amato

Telefone: (11) 5051-0233 Email: juliana@fertilidade.org

 Raquel Tenuta – Portal Bispa Sonia